terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

MISSÕES JESUÍTICAS

Estivemos nas Missões em busca de história, cultura e aventura. Para contar essa experiência enriquecedora em todos esses quesitos, temos que partir do inicio histórico tendo em vista que espera-se serem postagens bastante visitadas pela demanda que se acompanhou durante essa jornada. 

Cada sitio arqueológico visitado por nós terá uma postagem individual exclusiva, dados históricos terão suas fontes referenciadas, mas quase todas são de folders turísticos, os quais resumem de forma precisa e não sobrecarregam trazendo um equilíbrio entre história e aventura.

O encontro dos Jesuítas e dos Índios da américa espanhola, entre os séculos XVI e XVIII resultou nas MISSÕES JESUÍTICAS DOS GUARANIS. A união das duas culturas criou o que é considerada a mais perfeita experiência de vida comunitária de todos os tempos, dentro dos ideais cristãos onde o bem comum era primordial.

Em 1607 os jesuítas, a serviço da Coroa espanhola, iniciaram a fundação de 30 reduções em terras tradicionalmente ocupadas por indígenas, hoje situadas em territórios da Argentina, Brasil e Paraguai.

Mapa dos 30 povos.

As reduções eram povoamentos criados para facilitar o trabalho de evangelização dos povos nativos, interligadas por caminhos onde havia capelas, fontes, área de floresta, estâncias com criação de gado introduzidos pelos jesuítas, plantações de erva-mate e outros vegetais já cultivados pelos guaranis.

Redução Jesuítica Santa Maria La Mayor - Misiones / Argentina.

Cada povoado compunha-se de uma praça, circundada por moradias, igreja, colégio, oficinas, cemitério e outras edificações. A população podia alcançar cerca de 7 mil indígenas e dois ou três jesuítas. Exímios caçadores, agricultores e ceramistas, os guaranis se tornaram, também, hábeis artífices, metalúrgicos, tipógrafos, escultores, pintores, músicos, canteiros e fabricantes de instrumentos musicais.

Ruínas da Redução Jesuítica de Santa Ana - Santana - Misiones / Argentina.

A vida nas reduções, que era mantida pela prática de um sistema cooperativo, causava admiração aos viajantes e seus relatos alimentaram o imaginário europeu, disseminando a visão idealizada de uma utopia no Novo Mundo.

Sítio Arqueológico de Loreto - Misiones - Argentina.

Com o Tratado de Madri (1750), que desencadeou a Guerra Guaranítica (1754 - 1756), e a expulsão dos jesuítas, em 1767, o sistema dos 30 povos entrou em decadência. Alguns povoados, permaneceram habitados por moradores locais e indígenas sobreviventes. Outros se transformaram em ruínas.

San Ignacio Miní - Misiones / Argentina.


OS SETE POVOS DAS MISSÕES

A província Jesuítica dos Guarani compunha-se de 30 povoados. quando Espanha e Portugal firmaram o Tratado de Madrid, fixando a fronteira entre as suas terras, sete destes povoados passaram a pertencer à Coroa Portuguesa e, posteriormente, foram incorporados ao território brasileiro. São os chamados Sete Povos das Missões: São Francisco de Borja, São Luiz Gonzaga, Santo Ângelo Custódio, São Nicolau, São Miguel Arcanjo, São Lourenço Mártir e São João Batista.

Sítio Arqueológico São João Batista - Entre Ijuís - RS / Brasil.

Os três primeiros originaram novas cidades (Atuais: São Borja, São Luiz Gonzaga e Santo Ângelo). Remanescentes dos outros quatro foram protegidos como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. São Miguel Arcanjo foi também declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Redução Jesuítica de São Miguel - São Miguel das Missões - RS / Brasil.

Houve certa especialização e troca entre os povoados missioneiros, São Miguel Arcanjo se dedicou sobretudo à criação de gado. São João Batista possuía uma fundição, produzindo sinos e ferragens, São Nicolau destacava-se pela qualidade artísticas de suas estátuas de madeira.

Sítio Arqueológico de São Lourenço Mártir - Missões / Brasil.

O sistema coletivo de trabalho e o conhecimento guarani, associados aos ensinamentos introduzidos pelos jesuítas, possibilitaram a sustentação dos povoados missioneiros (por cerca de 160 anos).


Redução Jesuítica de São Nicolau - São Nicolau - RS / Brasil.

Conhecer a Região das Missões é uma verdadeira viagem no tempo. Andar por elas faz reviver a saga dos jesuítas que em 1609, atravessaram o Atlântico, rumo ao desconhecido, para conviver com os Guarani dentro dos princípios da fé cristã.
Em princípio denominada Província Jesuítica e pertencente à coroa espanhola, um grupo de até 100 mil indígenas experimentaram uma vivência de 160 anos até hoje sem igual. Com a passagem do território para as mãos portuguesas, porém, o espaço assistiu à Guerra Guaranítica e posterior expulsão dos jesuítas, que levou ao extermínio do projeto.

Hoje, há 30 mil indígenas "Guarani" no Brasil. Falam a língua de seus antepassados e mantém sua organização social e sua visão de mundo, profundamente marcada pela espiritualidade. As ruínas de São Miguel são para eles, um lugar sagrado.



MISSÕES JESUÍTICAS - ENRIQUECIMENTO CULTURAL E AVENTURA EM UMA INCRÍVEL VIAGEM AO PASSADO!!!!!!!!!!!!!!!!


TEXTO: 
Introdução e legendas - Valfredo Neves.
Amarelo - Folder Turístico Rota Missões.
Laranja - Folder Turístico 2013, elaborado por Ana Meira 


FOTOS: Valfredo Neves.
Mapa dos 30 povos - Internet.



VEJA MAIS EM:






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentário!!!!!!!