sábado, 3 de dezembro de 2016

CARDOZO GRANDE - Uruguai.

Primeiramente a ouvi falar como simplesmente "Cardoso", mas Cardozo Grande também é conhecida como Pueblo Cardozo, uma localidade (povoado) do interior do Uruguai, localizada mais precisamente no Departamento de Tacuarembó a 75 quilômetros a noroeste da cidade de Paso de los Toros.

Meu irmão e mais dois ou três familiares (entre eles meu pai) mais um amigo, a 4 anos tiram em Cardozo alguns dias de suas férias pescando, não ficam muito tempo, apenas 4 ou 5 dias que funcionam como um "RESET" na vida, ali é o fim e o recomeço de tudo, do ano de trabalho, das contas pra pagar, da correria dos centros urbanos.

No quinto ano após ouvir várias histórias e ver várias fotos eu consegui me juntar ao grupo e ir conferir de perto, pois a curiosidade dos fatos narrados atiçavam a minha curiosidade cada vez mais quando ouvia sobre o local. Comigo eram cinco: Eu, Homero Neves (meu irmão), Valquir Neves (meu pai), Pinha Alves (meu cunhado) e Jair Fogaça nosso amigo a vários anos.

A placa indica a aproximação à Cardozo Grande.

Saímos de Santana do Livramento (250 Km até Cardozo), fronteira Brasil - Uruguai, seguimos pela Ruta 5 até a localidade de Cuchilla de Peralta (220 Km de Livramento). De Peralta são mais 30 quilômetros de estrada de terra até Cardozo Grande. A estrada é boa, mas pedregosa, o caminho seria  único e obrigatório se não fosse uma estrada vicinal que leva a localidade de Achar (Ruta 43 à 10 Km da Ruta 5). 

Vencendo a estrada de terra, uma placa azul indica a aproximação à Cardozo Grande, onde eucaliptos grandes balizam as laterais da estrada (foto acima).

Chegando a Cardozo na campanha uruguaia.

A localidade de Cardozo foi fundada em 1889 como consequência da extensão da linha férrea até a então cidade de Fructuoso de Tacuarembó (hoje Tacuarembó - capital departamental). Teve origem a partir de uma estação ferroviária construída pelos ingleses em pedra e madeira a poucos metros do Arroio Cardozo, a qual, herdou o seu nome. 

A antiga Família Cardozo, proprietária de grandes extensões de terras locais, deram nome ao Arroio Cardozo, que por ser referência nomeou a nova "Estación Cardozo", que por sua vez deu origem ao povoado Cardozo (Pueblo Cardozo), que recebeu o adjetivo "Grande" para diferenciá-lo de uma área rural próxima chamada "Cardozo Chico". 

Cardozo Grande - Uruguai.


Cardozo / UY.

Hoje há um paradoxo notável, Cardozo Grande é pequeno, modesto, porém centenário, uma cidade que nasceu, mas não se desenvolveu, mas ela está lá, parece que planejada, com suas ruas largas e demarcadas, uma longa avenida como entrada e até espaços públicos estabelecidos, infelizmente não foi urbanizada, melhor dizendo foi esquecida. Cardozo é hoje uma vila de campanha, ilhado entre imensas estâncias, isolado por um só acesso, como se fosse um "beco sem saída", quase, o que será inevitável, uma cidade fantasma.

Cardozo Grande.


Ruas laterais formam largos corredores.

Chegamos e montamos acampamento a uma quadra do lago, um pescador que estava de saída nos contava com imensa tristeza sobre sua infância em Cardozo, nos dizia que a localidade foi um importante centro da indústria leiteira do país. Assim como nós, uma vez por ano ele voltava ao povoado para pescar e relembrar velhas histórias. 

Meu irmão, procurou frustradamente por um senhor que os atendeu gentilmente em um armazém próximo na temporada passada, pois havia falecido a alguns meses.

Na tarde do segundo dia, balançando em minha rede, "escutava a grama crescer" tamanho o silêncio imperativo em Cardozo, este quebrado por Phil Collins no celular do amigo Jair que acabara de despertar de sesta, peguei minha máquina e saí para fazer alguns registros para postagem.

Chácaras abandonadas em Cardozo Grande.


Ruínas em Cardozo - Uruguai


Ruínas.


Cinamomos (Melia azedarach) centenários, militarmente alinhados, plantados pelo Sr. Romeo Notary no que seria a avenida principal de uma grande cidade.


Cardozo Grande / UY

Já no início do século XX, Cardozo contava com uma população estimada em 1500 habitantes e contava com uma variedade de serviços como médico, escola e um jornal com o nome de "El Látigo". Seus primeiros anos foram de desenvolvimento e progresso movidos ao trabalho.

Hoje seus habitantes não chegam a 50, apenas algumas famílias, as quais vivem da criação de ovinos e da prestação de serviço em estâncias próximas.

A criação de ovelhas é um meio de subsistência.


Ovinos em Cardozo Grande / UY.

Algumas famílias vivem na rua principal.

No final dos anos 30 começou a construção da Represa Hidrelétrica Gabriel Terra sobre o Rio Negro que ficaria 25 quilômetros ao sul da localidade. A construção desta gigantesca obra, provocou a formação de um grande lago artificial, o qual um de seus braços inundou a região de Pueblo Cardozo, arruinando as zonas de cultivo e leiteria. 

Casa antiga em Cardozo.

Andando pela rua principal me chamou atenção uma construção que trazia o nome "Villa Elena" em sua fachada datada de 1913, centenária, mostra a arquitetura forte dos tempos prósperos, estava trancada, ao lado se formou uma pequena floresta dentro do perímetro seu terreno, no interior desta, quase noite, mesmo durante o dia. 

Um jovem que mora na frente da antiga construção, escutava uma cúmbia (ritmo latino popular no Uruguai) num pequeno rádio de pilhas. Protegido pela sombra de sua velha casa, que tinha como porta um pano grande que fazia o papel de cortina, me deu atenção quando me aproximei, me contava que um sobrinho dos antigos donos que seria o herdeiro do imóvel, estivera uma única vez a muito tempo e não mais retornou.

A centenária construção em Cardozo Grande.


Villa Elena - 1913.

Quando a represa foi construída se formou um enorme reservatório com 11.800.000 m³ de água, com isso, nasceu o grande lago artificial que invadiu o povoado. Um de seus vorazes tentáculos avançou sobre o território de Cardozo Grande inundando 3/4 de seu território que ficou reduzido a apenas 50 hectares.

Antigas construções centenárias em Pueblo cardozo / UY.


O que seria uma bifurcação de ruas.


Espaços público definidos.


Praça em Cardozo Grande.


Cardozo Grande - Tacuarembó / Uruguay.

Muitas Chácaras e casas ficaram submersas com a subida das águas, meu irmão me contava que em outras vindas eles puderam observar algumas dessas moradias, pois o lago estava bem a baixo de seu nível normal. Não escapou nem a velha estação construída pelos ingleses, também engolida pelo lago. O mesmo aconteceu com o cemitério, dizem que com o nível do lago baixo é possível avistar ruínas dos jazigos, bem como a velha estação que deu origem ao povoado. 

Muitas casas ficaram submersas com a subida das águas.


Testemunhas de outra época, pereceram à esperar por novos tempos.


Quantas histórias foram perdidas pelo abandono?

O lago inundou também grande extensões de terras férteis, dedicadas a indústria leiteira, que naquela época faziam queijos, manteigas e demais derivados do leite que abasteciam o mercado local e nacional, bem como nos comentou o pescador em nossa chegada.

Cardozo Grande - Taquarembó / UY.


Ruínas marcam o isolamento do povoado.


Pueblo Cardozo - Uruguay.


Anu branco - conhecido como "Pelincho" por conta do penacho arrepiado na cabeça.

A maior parte do escoamento e da movimentação econômica em Cardozo se dava pela utilização da linha férrea como meio de transporte, com a inundação da estação o governo prometeu a construção de um viaduto que viabilizasse a entrada e saída do povoado evitando que o mesmo permanecesse isolado, porém o projeto foi recusado, pois custaria muito dinheiro para época.

Outra medida, com menos custo que a construção de um viaduto foi tomada a fim de buscar a mesma "solução", a construção de uma nova estação ferroviária do outro lado do grande lago.

Para isso, era necessário atravessar o lago de balsa e depois caminhar aproximadamente cinco quilômetros (5 Km) para se chegar até a nova estação e vice versa para se chegar ao povoado. A situação ficou insustentável e essa estação também foi desativada.

É possível visualizar na imagem do satélite, a distância do povoado em relação a nova estação de trem construída (Estación El Lago).


Procurar um novo recomeço se tornou inevitável.

Outra construção também impressiona, talvez mais que o antigo casarão "Villa Elena - 1913", é a igreja de Cardozo, que se tornou um ponto de referência, por ser a construção mais alta e poder ser visualizada de qualquer ponto do povoado.

Igreja em Cardozo Grande

Apesar da grande quantidade de construções abandonadas e em ruínas, não tive a mesma impressão da igreja, a construção parece bem preservada, feita em tijolos maciços avista, uma inscrição na parede frontal a esquerda data a sua construção em 1925 (LATTUADA Hnos CONSTRUCTOR 1925).

Igreja em Pueblo Cardozo - Uruguay.

Na mesma posição, porém no outro extremo da parede frontal (agora na direita), também mostra uma data, que me parece ser a data de uma pontual reforma, por isso o talvez da igreja estar bem conservada. A inscrição diz ECONORTE CONSTRUCCIONES - GABRIEL MICHAELSSON / Tec. Constructor 2004.

Igreja em Cardozo.

É notória as características de uma igreja católica. Não reparei o suficiente para verificar se haviam sinos, mas a torre destinada aos mesmos é quem deixa a construção majestosa. 

Me aproximei observando a porta em metal com traços modernos da metalurgia, as janelas com seus vidros intactos e limpos descartavam o abandono. Essas por sua vez não revelavam nada sobre o seu interior, o qual foi descoberto através das seteiras centrais nas folhas da grande porta de metal.

As paredes laterais internas são igualmente como as paredes de fora, com tijolos maciços à vista, sem revestimentos. Na parede do fundo a qual abriga o altar, na cor branca, bem viva e limpa. No que seria o altar um quadro grande com uma imagem de Jesus abençoando uma freira, também havia uma santa, a qual não sei precisar, parece ser a Virgem Maria com o menino Jesus no colo, está em uma caixa envidraçada. Um púlpito largo frente a cinco bancos compridos completavam o cenário religioso em cima de um piso quadriculado com cerâmicas pequenas formando um longo tabuleiro de xadrez em vermelho e branco. 

Raios solares entram sem pedir licença por altas janelas envidraçadas, cumprindo seu dever de iluminar o ambiente durante o dia. Um andaime de três andares em metal, e algumas ferramentas confirmam os cuidados e a atenção que a igreja vem recebendo. Por sua estatura imponente na paisagem e pelo seu isolamento, sem proteção de outros prédios, paga o preço de ser constantemente castigada com ventos fortes, ação natural que talvez ocasione os maiores desgastes em sua estrutura e vidraças.

"Iglesia em Cardozo Grande - Tacuarembó / UY."

Antigamente  Cardozo contava com médico residente, agora a saúde pública é atendida por um médico vindo da cidade de  Paso de Toros em regime de visitas quinzenais.

Instalações da Policlínica de Cardozo.


Decadência de um povo...


... isolado e esquecido!

Em uma das esquinas principais próxima à Igreja, à escola, à policlínica e onde funcionava um dos armazéns, fica uma das torneiras coletivas (são duas). A água é bombeada de um poço artesiano (12 mil litros) por um antigo catavento, sua potabilidade é controlada pela O.S.E. (Obras Sanitárias del Estado).

Torneira coletiva. Um dos pontos de distribuição de água potável em Pueblo Cardozo.

Outro prédio que nos chamou a atenção pela sua conservação foi a Escola (Escuela Rural nº 10). A construção de 1890, encontrava-se bem pintada, dava para ver uma rede de voleibol estendida no pátio, estava fechada durante nossa permanência, pois era período de férias. No último ano, me contava o rapaz do rádio de pilhas, apenas duas crianças estudaram ali, é triste, uma escola que recebia dezenas de alunos em outras épocas.

Escuela Rural nº 10 - Cardozo Grande.

Toda essa história triste do abandono do Estado, do êxodo do povoado, das dificuldades, do isolamento são muito presentes e visíveis, mas Cardozo Grande também tem coisas boas, procurada por nós pela sua agradável tranquilidade e boa pesca, também é uma cidade histórica, ao meu ver deveria ser tombada e preservada como patrimônio histórico, pois foi um povoado que foi sacrificado para que o progresso chegasse a outras áreas do país.   

Uma quadra com fortes casas, porém a rua como todas outras termina no grande lago.


Cardozo Grande - Taquarembó / Uruguai.


Ruínas do que seriam a antiga "Chefatura de la Policía".


Paredes fortes construídas em pedras insistem em superar o tempo.


Ruínas, belas e impressionantes - Cardozo / UY.

Montamos nosso acampamento em uma área em frente a escola. Terreno vazio mas com farta sombra e perto da torneira coletiva. Também ficamos próximos do lago em qualquer direção que escoliamos pescar. Foram cinco dias fantásticos, poder estar em Cardozo foi como um presente.

A campamento em Cardozo Grande - Uruguai.

Os contatos com as pessoas foram poucos, tentamos não interferir no cotidiano dos moradores, as dúvidas eram muitas, não tinha como não perguntar o por que de tantas casas abandonadas? O que ali aconteceu? Porém preferimos apenas fazer o que nos planejamos, pescar e descansar.

O tempo parece ter parado em Cardozo!


Cinamomos (Melia azedarach) centenários, montam guarda na velha tapera em Cardozo.

Com a elevação das águas muitas famílias perderam suas casas, terras e áreas de cultivo, entre elas as destinadas a leiterias, que somando com a inviabilidade do transporte migrou para outras regiões do país. Pela diminuição da área, distância acentuada da nova estação e por fim pelo isolamento e falta de energia elétrica houve um êxodo sobre tudo pela falta de oportunidades, levando as pessoas procurarem um novo recomeço em outros lugares.

Ruínas em Pueblo Cardozo.


Algumas imagens se tornam apocalípticas.


Casa de pescadores em Cardozo.

Pueblo Cardozo foi sacrificado por um bem maior, gerar energia elétrica para o país, porém durante quase toda sua existência viveu sem ela. Algumas medidas tentavam minimizar a carência de alguns serviços como por exemplo o uso de uma central telefônica que funcionava com placas de energia solar. Essas também eram usadas para desenvolver algumas atividades de ensino na escola.

A energia que foi o motivo do sacrifício do povoado esteve sempre tão perto de Cardozo, mas "parecendo vendada, nunca o encontrava". A apenas 25 quilômetros de distância estava a represa, construída para gerar energia elétrica, motivo pelo qual o povoado foi inundado. Agora Cardozo observa cansado, o progresso com outras alternativas de geração de energia chegar no outro lado do lago, através de imensas torres de energia eólica.

Cardozo a apenas 25 Km da represa que deu origem ao grande lago artificial.

Enfim chegou a energia elétrica a Cardozo Grande no dia 23 de dezembro de 2013. Como diz o ditado "antes tarde do que nunca". Não sei precisar os impactos positivos causados com esse acontecimento, mas com certeza trouce uma maior qualidade de vida para os que ali  persistem em levar suas vidas.

 Esperança de que o progresso ultrapasse para esse lado do lago!

Cardozo foi muito importante, pela sua posição estratégica trouce a linha férrea e a estação, que trouxeram pessoas, que viram ali um começo para o progresso. Com isso surgiu um principio de desenvolvimento com a industria leiteira, criação de gado e comércio de lã. Com a aglomeração de pessoas estabeleceram-se serviços públicos como médico, polícia e até um jornal próprio. Tudo isso foi submerso com a chegada da represa, histórias e sonhos também se afogaram no grande lago reduzindo a próspera cidade em um pequeno povoado esquecido.

Para nós Cardozo é especial, nos aproximamos quando lá estamos. Descansamos e pescamos desfrutando de sua paz e tranquilidade. Nossa turma já esteve várias vezes, "eu fui a primeira", mas tenho certeza, sempre que puder me juntarei a eles novamente para em Cardozo Grande jogar conversa fora e darmos boas risadas.

Da esquerda pra direita: Pinha Alves, Homero Neves, Valquir Neves (Pinguim), Jair Fogaça e Valfredo Neves.


CARDOZO GRANDE - POR NÓS JAMAIS SERÁ ESQUECIDO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!




COORDENADAS GOOGLE EARTH: 32º38'38.48"S - 56º19'35.20"O.




TEXTO:  Valfredo Neves.

Fontes:
Disponível também em: