terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Meia Volta no UY 6º e ultimo dia

Pois bem! As razões que levaram a decisão da "Volta no Uruguai" virar "Meia Volta no Uruguai" foram as seguintes:
- Eu não conhecia nada sobre as estradas do leste uruguaio, nem mesmo o pouco que conhecia as do oeste e temia que fossem estradas em mau estado de conservação.
- Em contra-partida tinha certeza que a "Ruta 5" pela qual retornamos, que liga Montevidéu a Rivera é uma excelente rodovia.
- Temia que o carro que era 1.0 desse problema e nos deixasse empenhados, pois era nossa primeira viagem com ele (que nada, aguentou tranquilo e não deu galho em nenhum momento da viagem).
- Não iríamos passar pelos Departamentos do centro do país, os quais tantas vezes tinha ouvido falar.
- Como não conhecemos o leste uruguaio, era uma oportunidade de planejarmos uma nova viagem com esse objetivo, já que tinhamos adquirido experiência suficiente para outra jornada.

Enfim! No 6º dia acordamos em Florida e agora sem pressa, já que não precisávamos procurar caminhos, pois para retornar para casa era praticmente uma reta de 400 Km, fomos para praça central tomar chimarrão antes de partir.

Praça em Florida - Departamento de Florida UY

Seguindo em frente rodamos mais 85 Km até a cidade de Durazno, agora já no Departamento de Durazno, passamos pelo centro da cidade, que não se mostrava muito diferente das pitorescas cidades do interior, exceto por ser muito arborizada, com muitos Platamos que cobriam as calçadas com suas folhas decíduas. Não ficamos muito e nosso próximo destino foi a cidade de Paso de los Toros agora no Departamento de Tacuarembó, onde fomos surpreendidos por uma imponente estátua de um touro na entrada da cidade. Paso de los Toros é muito conhecida, pois lá é fabricada a água tônica mais famosa do país, assim como uma diversidade de refrescos que trazem o nome da cidade no rótulo.

Paso de los Toros - Departamento de Tacuarembó / UY

Rodamos pelo camping municipal e depois descobrimos a Represa Hidrelétrica Dr. Gabriel Terra a poucos quilômetros do centro da cidade, onde em uma área permitida fizemos o nosso próprio almoço, e onde pude batizar minhas linhas de pesca nas águas do tão famoso para os pescadores "Rio Negro".

Almoço próximo a hidrelétrica em Paso de los Toros (ao fundo Rio Negro).

Seguindo viagem passamos direto pela cidade de Tacuarembó, pois em outra oportunidade já haviamos conhecido e em breve em futuras postagens contarei mais, não só da cidade como também sobre diversos lugares do Departamento.

Com mais 100 Km cheganos em casa, cansados, porém com a alma lavada, digamos revigorados. Percorremos 2.220 Km e passamos por quatorze dos dezenove Departamentos do Uruguai.
Toda essa jornada (com certeza a primeira de muitas) nos fez refletir o tão importante para nós foi estarmos nesses lugares, todos surpreendentes, marcantes, inesquecíveis...
Realmente com a proteção e a graça de DEUS foi uma experiência incrivel para nossas vidas.






2220 QUILÔMETROS PERCORRIDOS, 14 DEPARTAMENTOS VISITADOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! 




TEXTO: Valfredo Neves.
EM VERMELHO: Cidades e vilarejos no Uruguai.



FOTOS: Valfredo Neves. 






domingo, 5 de dezembro de 2010

CERRO DE PALOMAS

A aproximadamente 20 Km de Santana do Livramento pela BR 158, existe mais uma bela obra esculpida e moldada pela mãe natureza, estou falando do Cerro de Palomas. Ele é uma referência não apenas como ponto turístico, mas também como um marco imponente que saúda os visitantes que procuram Livramento para uma infinidade de atividades como descanso, compras, aventura, etc. Da mesma forma o santanense que retorna a sua terra querida, ao passar pelo cerro, é preenchido com um sentimento que eu descreveria como se fosse um abraço de boas vindas de Santana do Livramento.

Visão do Cerro Palomas pela BR158 (sentido Lvto - Rosário).


Cerro Palomas à 20Km de Santana do Livramento.

O Cerro de Palomas é um ótimo lugar para prática do eco-turismo, apesar de estar em terras particulares é permitido o acesso ao seu cume. Uma estrada leva ao topo, mas nem sempre se encontra em condições trafegáveis.

Porteira de acesso ao Cerro (deve ficar sempre fechada porque é criado rebanho de bovinos no local).

Todo entorno do seu topo que é plano, é circundado por uma formação rochosa (característica dos chamados Cerros Chatos da região) que em determinados pontos ultrapassam os 20m de altura, ideal para atividades como rapel e escalada.

Cerro de Palomas - Santana do Livramento RS


Sua formação rochosa em alguns pontos ultrapassam os 20m.


Visão do Cerro pela estrada de terra lateral.

Lá em cima existem duas antenas, uma de uma operadora de telefonia, a outra que ficou muito tempo desativada agora está equipada com aparelhos que distribuem sinais de televisão e internet. Uma empresa prestava serviço de vigilância no local, porém como término do contrato os vigilantes foram substituídos por outras formas de segurança e aparelhos de monitoramento.

Antena no Cerro.

Com uma vista privilegiada é possível admirar as planícies da campanha gaúcha, vinhedos e os carros que passam pela BR 158, que lá de cima parecem ser miniaturas.

Vista do Cerro - Campanha gaúcha.


Vista do Cerro - Estrada de acesso e ao fundo vinhedos.


Vista do Cerro - BR 158.


Cerro de Palomas - Santana do Livramento - RS.




CERRO PALOMAS, ESCULPIDO PELA MÃE NATUREZA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



COORDENADAS: 30° 49' 29.46" S - 55° 20' 59.23" O.



TEXTO: Valfredo Neves.



FOTOS: Valfredo Neves.



Veja mais sobre a Geologia do Cerro de Palomas e sobre Paleontologia nas proximidades em:




segunda-feira, 15 de novembro de 2010

SERPA

Saindo de Rivera pela Ruta 27 a exatos 12 Km encontramos o Balneário Municipal Passo do Serpa.

Sinalização na entrada do camping

É uma opção de lazer para o final de semana, talvez não seja o paraíso, talvez não seja aquilo que você esperava, mas mesmo assim ainda é uma opção.
O lugar possui uma ampla área de Camping com churrasqueiras e bastante sombra, mas se você quiser pegar um bom lugar é melhor ir bem cedo para reservar o seu, pois o local enche com certa facilidade nos finais de semana.

Serpa - Boa sombra.


Serpa - Gramado para recreação.


Passando a estrada o campo de futebol e ao fundo área de Camping com churrasqueiras.

Em alta temporada, ou seja, no forte do verão, funciona um bar local onde você pode encontrar bebidas geladas e lanches  mas o interessante é já levar o que se vai consumir para não arriscar a ficar sem. O movimento é grande, a área de banho é rasa, porém não muito ampla, mas dá para brincar tranquilo.

Serpa - Área de banho.


Balneário e Camping Municipal Passo do Serpa.

Há banheiros, feminino e masculino e também um campo de futebol.

Campo de futebol.

Atenção! Não leve animais para área de banho e apesar de não ter muitas lixeiras, não jogue lixo em qualquer lugar, procure achar um ponto de coleta ou deixe o seu organizado e ensacado que facilitará na coleta posteriormente.

O lugar possui também ótimos locais para pesca, mas é mais aconselhável no inverno pelo menor fluxo de pessoas e por o passo estar mais cheio devido as chuvas.

Excelente lugar para pescar.




SERPA - UMA OPÇÃO DE LAZER!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



COORDENADAS GOOGLE EARTH - 31º02'15.54"S - 55º29'16.35"O.



TEXTO: Valfredo Neves.



FOTOS: Valfredo Neves.





terça-feira, 2 de novembro de 2010

MEIA VOLTA NO URUGUAI 5º Dia.

Acordamos bem cedo e fomos para o café da manhã, em seguida arrumamos as coisa no carro e partimos. Na noite anterior avaliei que nosso destino seria Punta del Este e que após retornaríamos até Montevidéu e de lá voltaríamos para casa passando pelos Departamentos do centro do país, foi aí que a "Volta no Uruguai" virou "Meia Volta..." e na próxima postagem desse marcador explicarei os motivos que me levaram a tomar essa decisão.
Partimos então pela excelente rodovia duplicada, logo em seguida passamos a viajar por uma bela estrada a beira mar que nos levou diretamente ao tranquilo e simpático balneário chamado Piriápolis, agora já no Departamento de Maldonado. Por se tratar de final de temporada e também por ser feriado a cidade estava praticamente deserta. Piriápolis tem seu nome derivado de seu fundador o Dr. Francisco Piria e é muito procurada em alta temporada (verão) pelas famílias uruguaias e também por turistas brasileiros e argentinos. A cidade é cercada de cerros como o Cerro del Toro (250m), Cerro del Burro (170m), Cerro Pan de Azucar (380m) e Cerro San Antonio (135m) sendo uma das atrações turísticas mais visitadas por ser em área urbana, praticamente no meio da cidade, onde é possível chegar ao seu topo (onde existe uma pequena capela) via teleférico. Ficamos pouco tempo, ventava muito e a ansiedade de chegar a tão comentada Punta del Este nos apressava.

Veleiros na área portuária em Piriápolis - Dep. Maldonado


Ao fundo Cerro San Antonio em Piriápolis - Dep. Maldonado

Chegamos então a tão esperada Punta del Este, realmente surpreendente, suas mansões luxuosas e seus grandes hotéis, cassinos e prédios residenciais magníficos, nos fazem parecer estar naquelas cidades norte americanas que vemos frequentemente nos filmes, e em alta temporada é muito fácil encontrar famosos dos mais variados lugares do mundo passeando tranquilamente pela cidade. Seguimos pela avenida a beira mar admirando a bela cidade e como aconteceu antes em outras, estava tudo muito calmo, pessoas faziam atividades físicas e não rara as vezes passavam carrões em que eu nem me arriscaria a adivinhar nome ou marca. Mas a cidade era nossa, mesmo que por pouco tempo, porque nossa intenção era apenas conhecer e não veranear em Punta, mas não importava era mais uma experiência maravilhosa, estarmos naquele lugar, viver aqueles momentos com a intensidade com que vivemos e pode-se dizer aproveitamos cada minuto.

Playa La Pastora Punta del Este - Dep. Maldonado


Playa la Pastora - Punta del Este


Punta del Este - Meia Volta no UY 2009


Playa Brava - Punta del Este / Uruguay


Playa Brava - Punta del Este - Dep. Maldonado / Uruguay

Punta del Este foi o nosso ultimo destino para o leste, agora voltaríamos até Montevidéu e retornaríamos pelo centro do país.
Começando nosso retorno, após sairmos de Punta del Este chegamos na localidade de Punta Ballena, o lugar é fantástico, de lá você pode ver a Baía de Maldonado e também visitar a "Casa Pueblo" uma cidade-escultura criada pelo arquiteto uruguaio Carlos Páez Vilaró que parece aquelas cidades gregas encravadas nas rochas, que inclui um museu, uma galeria de arte e um hotel chamado "Hotel Casa Pueblo".

Punta Ballena - Dep. Maldonado / Uruguay


Casa Pueblo - Punta Ballena


Casa Pueblo - Punta Ballena (foto do weblog http://www.anjosedemonios.weblog.com.pt/)

Seguindo em frente agora pela auto-estrada e não pela beira mar, chegamos ao trevo que dá acesso ao Cerro Pan de Azucar*, novamente nos arredores de Piriápolis aonde pude realizar um sonho bastante antigo (veja em "Cerro Pan de Azucar" - marcador "Cerros"). Pegando a estrada novamente, chegava a hora mais uma vez da preocupação de "aonde vamos parar pra dormir?" O planejamento era passar a cidade de Montevidéu e quando pegássemos a "Ruta 5" que nos levaria para casa, parar na cidade de Canelones no Departamento de mesmo nome e pernoitar, para que no outro dia, partíssemos para nossa última jornada.
Ao chegar em Montevidéu novamente, já era fim de tarde e perdemos muito tempo, porque erroneamente ao tentar encurtar o caminho passamos por dentro da cidade e nos perdemos, pois fomos engolidos pela grande metrópole. Ao reencontrar o caminho seguimos para Canelones, chegamos já noite e ao chegar no único hotel da cidade estava fechado, cortinas rasgadas e o telefone do proprietário no vidro anunciavam que a muito não hospedara ninguém, e na tentativa de fazer um contato o único telefone público que encontramos não funcionava, a cidade tinha carência de iluminação pública, talvez pela proximidade à Montevidéu as atenções estejam voltadas para capital, o fato é que de toda viagem não trago grandes recordações do Departamento de Canelones já desde o pequeno incidente em Atlântida. Decidimos seguir viagem, agora já de noite, e com os faróis do carro desregulados para andar na auto-estrada, chegamos com dificuldade à cidade de Florida agora já no Departamento de Florida, encontramos um simpático hotel bem no centro da cidade, onde podemos passar uma merecida noite de descanso. O programa CQC da Bandeirantes passando na TV a cabo já acendia uma brasinha de saudade do Brasil e isso que só estávamos cinco dias fora...

Segue...




URUGUAI, INCRIVELMENTE SURPREENDENTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



*Veja em breve no marcador "Cerros".



TEXTO: Valfredo Neves.
EM VERMELHO = Cidades e povoados do Uruguai.



FOTOS: Valfredo Neves, weblog anjos e demônios.


VEJA OS DIAS ANTERIORES DA VIAGEM EM:



sexta-feira, 15 de outubro de 2010

CALLE DE LOS SUSPIROS




Andando pelas ruas do Bairro Histórico em Colonia del Sacramento tivemos a felicidade de conhecer a "Calle de los Suspiros" (Rua dos Suspiros), um lugar que transpira magia, história, segredos e lendas.
Esta pequena rua é um caminho estreito e irregular para pedestres, sem calçada e pavimentada com pedras em cunha.
Antigamente esta rua pitoresca era chamada "Ansina". E porque agora chama-se Calle de los Suspiros? Pois bem! Há várias histórias e lendas tecidas em torno de seu nome atual. Uma teoria sustenta que condenados à morte seríam executados no final da rua. Outra história sugere que nesta rua existiríam numerosos prostibulos, refugio de marinheiros cansados e ansiosos por diverção, e que de passagem,  soldados elogiavam e agradavam as prostitutas que em resposta, suspiravam por eles. A última história, e talvez a mais romântica, conta que numa noite de luar, uma jovem apaixonada esperava seu amado, e que derrepente um mascarado lhe cravou um punhal no meio do peito. Só se escutou um último suspiro de Adeus...

Vendo e ouvindo a guia no centro de uma roda de turistas dos mais variados lugares do mundo, narrar essas histórias no mais puro e cristalino espanhol confesso que voltei ao passado!
Realmente acreditei mais na primeira, mas quem sabe existam novas histórias, será questão de irmos em busca delas. A Calle de los Suspiros ainda conserva sua magia que nos transporta no tempo para continuarmos sonhando. Porém temos que chegar até ela!!!!!!!!




CALLE DE LOS SUSPIROS, LITERALMENTE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!




TEXTO: Fonte para ajuda: welcomeuruguay.com
               Adaptação: Valfredo Neves.



FOTO: Valfredo Neves.




segunda-feira, 4 de outubro de 2010

MEIA VOLTA NO URUGUAI 4º Dia.

Após uma noite de merecido descanso na cabana em SantAna, acordamos bem cedo para aproveitar melhor o dia.

Prevíamos que seria outro dia puxado, mas em contra partida com muita cultura e experiências inéditas que ficariam tatuadas em nossas vidas para sempre.

Cabana em Santa Ana - Departamento de Colonia.


Cabana em Santa Ana - Departamento de Colonia.

Voltamos então para Colonia del Sacramento, cidade fundada em 1680 por D. Manuel Lobo, a mando da coroa portuguesa, localizada as margens do Rio da Prata, importante via de comércio, foi alvo de constantes disputas entre Portugal e Espanha. Chegamos bem cedo, a cidade ainda dormia, refizemos o caminho em que chegamos no dia anterior, da praia "El Balneário" até a praia "El Alamo", logo após compramos artesanatos em uma feira que ficava na área central e fomos então visitar o "Bairro Histórico".

O Bairro Histórico no ano de 1995 foi classificado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, sendo ele um testemunho da história do periodo colonial da América do Sul, onde suas ruas tanto lusitanas como espanholas perpetuam a arquitetura e a memória da cidade.
Passamos toda manhã passeando e estivemos em lugares como o museu do azulejo, ruínas do convento de San Francisco e o farol*, "calle de playa", "Calle de los Suspiros"** entre outros.

Colônia del Sacramento - Departamento de Colonia - UY.


Calle de La Playa - Bairro Histórico.


Construção portuguêsa de 1740-1760 restaurada em 1986 hoje museu do azulejo.


Pavilhão uruguaio imponente sobre o Rio de la Plata
Colônia del Sacramento - UY.


Calle de los Suspiros - Calçamento da época colonial.

Após aproveitar toda a manhã em Colônia, decidimos seguir viagem e almoçar na estrada. Saindo de Colônia del Sacramento pela "Ruta 1" para Montevidéu o caminho é fabuloso, com palmeiras nos dois sentidos da rodovia por longos quilômetros. Chegando à Montevidéu tomamos como referência a belíssima torre das telecomunicações, um moderno e luxuoso prédio que a uma grande distância já apresentava uma boa impressão da cidade, que é uma das trinta mais seguras do mundo e a capital com a melhor qualidade de vida da América do Sul, concentra praticamente a metade da população uruguaia e também é a sede administrativa do MERCOSUL. Com algumas informações chegamos a Plaza Independência onde podemos visitar o Mausoléu do Gal. Artigas***, logo na sequência voltamos à avenida que costeia a orla, avançávamos em direção ao leste guiados pela excelente sinalização que indicava o caminho que levaria a Punta del Este com a grande cidade a nossa esquerda e o belíssimo Rio de la Plata que se perdia no horizonte a direita.

Plaza Independencia - Montevidéu - UY


La Rampla - Montevidéu - UY

Alcançando novamente a "Ruta 1" seguimos então até a cidade de Atlântida agora no Departamento de Canelones. Cansados procuramos logo um lugar para ficar, o lugar é bonito, a cidade é de praia, mas fiquei com a impressão de que não éramos bem vindos e tudo se confirmou ao achar um lugar que alugavam pequenos apartamentos, o dono ao avistar o Lino disse logo de cara que não aceitaria o cachorro. Bom!Pela primeira e ultima vez na viagem lidamos com esse contratempo, mas "segue o baile" e a apenas alguns quilômetros à frente encontramos "o lugar", Hotel Niágara Inn (http://www.niagarainnhotel.com/), excelente recepção, nos deixaram bem a vontade, não se importaram com o cão, pois já tinha uma meia dúzia por lá, como era final de temporada não tinham muitos hóspedes e após um bom banho, tomamos chimarrão no seu belo jardim que tinha uma piscina com um chafariz convidando para um mergulho que foi recusado porque a temperatura ao entardecer não era própria para tal...

Segue...



DE UMA VOLTA AO PASSADO A ENCANTADORA CAPITAL, URUGUAY SURPREENDENTE!!!!!!!!!!!!!!!!




TEXTO: Valfredo Neves.
EM VERMELHO: Cidades e vilarejos no Uruguai.



FOTOS: Valfredo Neves. 



* Veja mais no marcador Caçadores de Farol.
** Veja mais no marcador Colonia - UY.
***Veja mais no marcador Monumentos à Artigas.


VEJA OS DIAS ANTERIORES DA VIAGEM EM:



domingo, 19 de setembro de 2010

MEIA VOLTA NO URUGUAI 3º Dia.

Acordamos em Paysandú e após o café da manhã, saímos para dar uma volta na cidade antes de seguir viagem. Passeamos próximo ao Rio Uruguai onde é possível avistar belos lugares, locais para pesca, esportes náuticos, praias de água doce, enfim, um belo lugar.

Paysandú - ao fundo o Rio Uruguai.


Paysandú - Departamento de Paysandú.

Agora nosso destino final para o dia seria a cidade de Colônia del Sacramento, seguimos viagem pela "Ruta 3" e logo em seguida pela "Ruta 24" que corta o Departamento de Rio Negro. Neste Departamento existem cidades importantes como Young e Fray Bentos (divisa com a Argentina), mas como qualquer uma delas nos tiraria de nosso destino principal, decidimos passar direto pelo Departamento.

Nossa primeira parada do dia foi na cidade de Mercedes já no Departamento de Soriano (Soriano foi o 1º povoado no Uruguai, fundado pelos espanhóis em 1624), Mercedes é banhada pelo Rio Negro e quando entramos na cidade sem nada conhecer como sempre, fomos costeando o rio que, diga-se de passagem, com belas paisagens transmitia um sentimento de "estamos no caminho certo". Aquele era "o dia", ensolarado e apesar do feriado muito movimentado, avistamos uma ponte com um semáforo controlado manualmente, como só tinha uma pista, o guarda coordenava a entrada ou a saída do lugar, se tratava da "Puente Confraternidad Argentina Uruguaya" que dava acesso a Av. República Argentina que por sua vez ficava numa belíssima ilha que tinha uma enorme área verde tipo um parque, com bares, local para Camping, etc. Muitos motoqueiros, famílias aproveitando o belo dia de sol, fazendo churrasco, acampando. Decidimos fazer nosso almoço ali mesmo e passamos um agradável meio-dia.

 Mercedes - Almoço na ilha.


Mercedes - Departamento de Soriano.

Deixamos a cidade de Mercedes no começo da tarde, pois faltava ainda um longo trecho a percorrer até Colônia. Seguimos pela "Ruta 21" e chegamos à cidade de Dolores ("el granero del país") ainda no Departamento de Soriano. Acho que pelo feriado, Dolores parecia uma cidade fantasma, ruas desertas, o vento soprava as folhas das árvores pelo chão, fomos então até o rio que agora se chamava "San Salvador", existia também uma pequena ilha chamada "Península Timoteo Ramospé", porém bem menor que a de Mercedes.

Seguindo pela "Ruta 21" chegamos agora na cidadezinha de Nueva Palmira agora já no Departamento de Colônia. Uma cidade pequena, mas muito encantadora pelo seu visual e pelo seu porto que é possível admirar um belíssimo por do sol, o qual não tivemos tempo de desfrutar pela pressa de chegar até o nosso destino final para o dia, anteriormente citado.

Pier em Nueva Palmira - Departamento de Colônia.

A próxima cidade foi Carmelo (fundada pelo Gal. Artigas), não paramos, tínhamos pressa, mas foi possível admirar sua arquitetura antiga, pois passamos pelo meio da cidade para seguir o caminho.
Apartir de agora a viagem se tornára mais surpreendente pelas paisagens, pelos vilarejos, casas isoladas e seguidas curvas pela estrada.

Chegamos então a tão esperada Colônia del Sacramento. Realmente "fantástica"! Logo de cara senti que realmente valera a pena toda aquela loucura de sair sem rumo, sem conhecer nada, eu que nunca tinha me imaginado em um lugar como aquele ("falando por mim, se bem que eu via o brilho no olhar da Iolanda") com tamanha importância, você acaba sentindo o cheiro de História nas ruas e pelos lugares onde passa. Andamos pelo centro, a cidade estava lotada, a noite se aproximava e a prioridade agora era encontrar um lugar para pernoitar para no outro dia sim aproveitar a cidade. Chegamos no quiosque de informações turísticas, a primeira informação era que os hotéis estavam todos lotados, só existiam cabanas pela "bagatela" de U$300,00 (dólares) a diária ("pode para, não tô loco"). A atendente nos deu uma dica (muito boa), para dormimos numa cidade vizinha e no outro dia retornar. A cidade seria Rosário a mais ou menos 100Km, topei a parada fazer o quê? O equivalente a R$ 600,00 (reais) eu não iria pagar pra dormir nem alí e nem na China. Seguindo para Rosário pela "Ruta 1" passamos por uma placa que indicava "Balneário Santa Ana", "eu digo, é ali, vai dá", e deu. Era um vilarejo, praia tranquila para quem não gosta muito de aglomerações e procura um lugar calmo para passar o final de semana ou até mesmo morar. Achamos um Hotel, grande, dois andares, porém lotado. Já era noite, viajamos todo o dia e estávamos ultra cansados, as opções estavam cada vez mais escassas (foi o ponto de mais abatimento da viagem). Ao fazer a volta na quadra vimos uma placa com uma seta indicando uma imobiliária local (http://www.inmolamaestra.com/), fomos até lá e toquei um sino que tinha na frente... Negociamos uma cabana completa com tudo, TV a cabo, banheira, água quente e novamente o principal, não tinha problema com o Lino. O preço? U$ 50,00 (dólares) que diga-se passagem valeram cada centavo...

Segue...



ADMINISTRANDO O TEMPO ÍAMOS GANHANDO TERRENO, NESSE INCRÍVEL PAÍS CHAMADO URUGUAI !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



TEXTO: Valfredo Neves.
EM VERMELHO: Cidades e vilarejos no Uruguai.



FOTOS: Valfredo Neves.


VEJA OS DIAS ANTERIORES DE NOSSA VIAGEM EM:



domingo, 5 de setembro de 2010

HISTÓRIA DO CASTELO SAN CARLOS

Em 1886 chegou a Concordia (AR) Edward Demachy, acompanhado por sua esposa, uma belíssima atriz. Vinham de Paris e um diário da época dizia que se tratava do "filho de um dos banqueiros mais ricos da França". Demachy começou a construir um imponente palácio em frente ao rio Uruguai, a que chamou San Carlos. Ele mesmo teria feito a planta com o estilo de reinado de Luis XV, decorado com seda, obras de arte e mármores trazidos da Itália. Nos jardins plantou árvores no outono.
Levantou uma fábrica de conservas e também uma ferraria onde fabricavam todos elementos com ferro e demais metais. Recebiam visitas que desfrutavam de todo o lugar.
Em um dia de 1891, repentinamente, o casal desapareceu pra sempre. Anos mais tarde o lugar passou para o município, que arrendou para custear os gastos. Um dos visitantes ilustres nessa época foi o Príncipe "Antoine De Saint Exupery".
Pouco à pouco o castelo foi se deteriorando, desapareceram móveis e objetos, até que em 1938 sofreu um incêndio, possivelmente intencional, ficando em pé só as paredes, o estabulo e o poço. Hoje ficam suas misteriosas ruínas, paredes que evocam o estio de catedrais góticas.

Concordia - Argentina.


Concordia - AR.


Ruínas del Castillo San Carlos.



CASTILLO SAN CARLOS, EXTRAORDINÁRIO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



Veja mais sobre Concordia em: www.concordia.gov.ar/turismo. 



FONTE DO TEXTO:  Fôlder turístico da cidade de Concordia - AR.



FOTOS: Valfredo Neves.