terça-feira, 10 de março de 2015

CERRO DA CRUZ - SANTANA DO LIVRAMENTO

Apaixonado por montanhas e distante de todas elas decidi que iria saciar a minha fome de aventura no que estivesse ao meu alcance e assim tem sido. Apesar de estar longe das grandes montanhas a região de Santana do Livramento nos trás algumas possibilidades não só de aventura, mas também históricas o que também atraem minha atenção, ainda assim,  muitas vezes essas duas "categorias", aventura e história, se fundem em uma coisa só, pois para se chegar em algum lugar histórico é necessário vivenciar algum tipo de aventura, pequena e indireta ou mesmo grandes jornadas. Lugares históricos acabam sendo relativo do ponto de vista interpretativo de cada um, pois para mim, por exemplo, todo lugar é histórico, cada lugar trás a sua história, as vezes oculta ou esquecida, que cabe a nós resgatar com a intensidade com que nossa curiosidade nos cobra. Muitas vezes essas histórias nos trazem alguns anexos como mitos e lendas o que servem como atenuantes em nossa busca pelo conhecimento e experiências.

Bom! Filosofias a parte, há vários outros cerros em Santana do Livramento, alguns até não longe do perímetro urbano.  No departamento de Rivera no norte do Uruguai também encontramos vários, alguns deles até divididos (ou unidos) entre os dois países como o Cerro do Marco e o Cerro do Chapéu¹. Já estivemos em vários deles o que se pode acompanhar no marcador Cerros². Porém o que me seduzia ao visualizar o Cerro da Cruz era a imponência de seu isolamento na Planície da Coxilha de Santana. Ao passar pela BR 158  é possível visualizá-lo desde muito longe, mas o melhor trecho para reconhecê-lo é sem dúvida nas proximidades do "trevo da Faxina³", visualiza-se também o Cerro de Palomas¹¹, que mais a frente para quem chega na cidade irá cruzar ao lado, pois este fica as margens da BR 158, o Cerro da Cruz fica bem atrás deste a uma longa distância.   

Cerro da Cruz - Coxilha de Santana.


Cerro da Cruz - Santana do Livramento - RS / BR.

Num domingo pela tarde decidimos ir até o cerro. Fomos pela estrada do Passo do Guedes, que até o Cerro da Cruz são aproximadamente 35 Km, os quais a metade em asfalto e a outra é em estrada de terra, que na ocasião estava bem conservada. Por esse caminho passamos por vários locais do roteiro turístico Ferradura dos Vinhedos um passeio que mostra belezas naturais, atrativos culturais, riquezas históricas, religiosas e sociais (além do vinho). O ponto de número 4 num total de 10 da Ferradura dos Vinhedos é a visualização do nosso destino o Cerro da Cruz. Na placa tem um pequeno, porém esclarecedor texto que até então desconhecíamos. Num primeiro momento ele informa, logo nos trás dados e em seguida atiça nossa imaginação. 

No texto está:
No inicio do encontro, a direita, da Ferradura, se vislumbra o Cerro da Cruz que "[...] se consagra no silêncio secular [...] [e é] uma das principais elevações montanhosas da coxilha de Sant'Ana com 392 metros de altitude; [a] denominação [foi] [...] dada pela cartografia geral do Exército, baseada nos causos de guerra em que moradores da localidade contavam que viam nele uma cruz que aparecia e desaparecia no seu crepúsculo. É uma cicatriz da terra e da história fronteiriça que testemunhou guerras por demarcações, revoluções e paz (POTOKO,2013).

Ponto 4 da Ferradura dos Vinhedos - Cerro da Cruz.

Da placa a estrada segue, mas seguimos pela direita, na direção que indica a seta por orientação de um morador local. Da placa até o ponto nº 5 da Ferradura dos Vinhedos o Cemitério da Cruz são aproximadamente 2.1 quilômetros o que nos serve como ponto de referência, depois mais 1.2 quilômetros entramos em uma estrada a esquerda, sempre visualizando o cerro, dessa entrada são mais 3.6 quilômetros até o cerro.

Cerro da Cruz - Santana do Livramento - RS / BR.

Chegamos então ao cerro. Ao lado há uma residência, após estacionar na sombra fui falar com o senhor que ali morava, para perguntar-lhe se teria alguma restrição em subir o cerro, pois para acessar a área teria que passar primeiramente a cerca. O senhor me disse que a cerca fazia parte de sua propriedade e eu poderia entrar sem problemas e me deu uma dica da direção a ser seguida.

Cerro da Cruz - Livramento.

Do carro segui sozinho mais alguns metros até uma árvore isolada que serve como referência para o acesso, visualizo mais uma cerca, que agora sobe em direção ao cerro e dá uma ideia de direção. A medida em que caminho em direção ao cerro percebo a presença de várias espécies de aves, algumas me causando seguidos sustos ao levantar voo da vegetação, urubus plainam bem acima nas correntes de vento, e tesourinhas (que a muito não via) equilibravam-se no arame da cerca, entre outras.

A árvore isolada serve como referência no acesso.


Olhando pra trás visualizo a árvore e bem ao fundo na estrada o carro. 


Tesourinha (Tyrannus savana).

A árvore isolada serve como referência no acesso. No principio a subida é leve, a vegetação é baixa e passo por um pequeno lajeado, em seguida me aproximo da cerca que tem um rastro de trilha, inevitavelmente paro de contornar e me direciono para o cerro, não é possível trassar um caminho reto, agora a vegetação atinge os joelhos, a subida se torna ingrime, o preparo físico me é cobrado prematuramente das minhas pretenções. Chego então em uma parte rochosa que forma uma parede, me animo, alguns trechos escaláveis, porém curtos, uso dos desvios que se mostram possíveis, a vista já se revela encantadora, mas ainda não em sua plenitude.

Subindo o Cerro da Cruz.


Pampa.


Na metade já da pra ter um aperitivo... 


...Pois a paisagem começa a ter outras formas.

Tenho ainda um trecho a percorrer, a subida final parece mais inclinada, respiro ofegante, a perna treme, é como se o longo período de sedentarismo que o inverno urbano me causou estivesse sendo me jogado na cara, sinto a montanha cobrando seus tributos, mas é bom, eu gosto disso, eu queria estar ali. Agora quase no fim pedras, muitas pedras, soltas ou não, desvio para não provocar impacto.

Pedras.


Agora começo me impressionar com a vista...

Registro minha empreitada e logo em seguida chego ao cume, plano, vasto, menos que a vista que se perde, são várias as cores e as formas, vejo água, Palomas, o Pampa. O carro está longe, eu estou longe, posso quase tocar o silêncio não fosse o assobio da brisa nos ouvidos, chego próximo a um aglomerado de pedras, suspeito que é a parte mais alta, cume é cume, a montanha se solidariza e me empresta a emoção que vim buscar.

No Cerro da Cruz em Santana do Livramento - RS / BR.


Cume do Cerro da Cruz.


Vista do Cerro da Cruz .


Cerro Palomas visto do Cerro da Cruz - Planície da campanha gaúcha.

 Não há cruz no Cerro da Cruz, mas poderia haver, por que não? A origem do seu nome vimos mais acima na citação da placa, porém, tantas outras montanhas trazem uma cruz no topo, que me fazem repetir a pergunta, por que o Cerro da Cruz não tem cruz? Por que a cruz está entregue a imaginação de quem diz enxergar e não materializada em seu topo? Fica a dica então para os canais competentes.
Faço o caminho inverso com a sensação do dever cumprido, o contato com a montanha é sempre enriquecedor, não importa o seu tamanho, o contato com a natureza nos rejuvenesce mesmo que por dentro, sempre se tira coisas boas em experiências como essa. 

Retornando.


Cerro / Rocha / Flora = Natureza.




CERRO DA CRUZ - IMPONENTE NA COXILHA DE SANTANA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



COORDENADAS GOOGLE EARTH: 30º42'25.61" S - 55º20'48.39" O.


TEXTO - Valfredo Neves.


FOTOS - Valfredo Neves.



NOTAS:





Trevo da Faxina³ - Trevo ou rótula a aproximadamente 33 Km de Santana do Livramento.






4 comentários:

  1. subi nele a 50 anos atras, morava la na estação de trem, hoje ja demolida de noite eu e meu pai ao luar olhavamos de longe era a coisa mais linda de se ver ,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só que incrível?!
      Sem dúvida são ótimas lembranças...
      Obrigado pelo seu comentário e deixo um grande abraço ao amigo!!!!!!!!!!

      Excluir
  2. O cerro dá cruz tem tantas estória que vc deveria ter ouvido se ouviu tomara que tenhas te inprecionado são estórias fascinantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joel!
      Com certeza, o Cerro por si só já nos impressiona. Há muita coisa a se contar sobre o Cerro da Cruz, histórias, verdades e lendas... Gostaríamos todos de conhece-las...
      Um Grande abraço ao amigo!!!!!!!!

      Excluir

Deixe seu Comentário!!!!!!!